Pesquisadores encontraram proteína em um meteorito

“Este é o primeiro relatório de uma proteína de qualquer fonte extra-terrestre”, afirmou a equipe em seu artigo.

Um meteorito datado de 10 mil anos. Imagem ilustrativa. (Créditos: Adolphe Pierre-Louis / AP)

De acordo com o site SoCientifica Pela primeira vez na história pesquisadores encontraram proteína em um meteorito. Em um artigo de pré impressão, uma equipe de pesquisadores da Universidade de Harvard e das empresas de biotecnologia PLEX Corporation e Bruker Scientific descrevem uma proteína encontrada dentro de meteorito.

As proteínas são moléculas orgânicas compostas de blocos de construção denominados aminoácidos. Os aminoácidos são uma espécie de fonte de combustível de alta energia e eles compõe a maioria das células biológicas. 

Assim é a estrutura geral de um aminoácido. (Imagem: GYassineMrabetTalk / Domínio público.)

Em 2014, cientistas descobriram pela primeira vez aminoácidos – ou pelo menos moléculas muito semelhantes a aminoácidos – em Sagitário B2 (Sgr B2), uma nuvem interestelar a 27 mil anos-luz de distância da Terra. Essa nuvem também é conhecida como viveiro estelar, um tipo de nuvem interestelar que é preenchida com poeira e gás a pressões tão altas que as estrelas se formam. Durante esse processo, ocorrem reações químicas e podem formar moléculas orgânicas complexas, como o cianeto de isopropil.

A descoberta foi muito importante, pois provou que o espaço interestelar é capaz de criar os tipos de moléculas que levaram à vida na Terra, como carboidratos, lipídios, proteínas e ácidos nucleicos.

Desde a descoberta destes aminoácidos em Sagitário B2 (Sgr B2) outras cadeias de aminoácidos também foram identificadas, mas nenhuma era grande ou organizada o suficiente para ser considerada uma proteína completa.

A proteína recém descoberta chama-se Hemolitina e contém ferro e lítio. Após uma análise detalhada em amostras vindas do meteorito batizado como Acfer 086, os cientistas descobriram que a proteína não possui origem terrestre, além disso seus blocos de construção diferiam quimicamente das proteínas terrestres.

Pesquisadores encontraram proteína em um meteorito. Na imagem está o modelo da molécula de hemolitina 2320 após minimização de energia MMFF. Superior: no modo de preenchimento de espaço; Centro: bola e taco; Parte inferior: visão ampliada das terminações de ferro, oxigênio e lítio. Branco = H; laranja = Li; cinza = C; azul = N; vermelho = O e verde = Fe. As ligações de hidrogênio são mostradas por linhas pontilhadas. (Créditos: Malcolm. W. McGeoch, Sergei Dikler, Julie EM McGeoch)

O artigo – que ainda não passou por uma revisão acadêmica e não foi publicado em uma revista científica – reforça a hipótese de que impactos de meteoritos poderiam ter contribuído para o desenvolvimento da vida na Terra. É possível que algumas das moléculas ou compostos necessários para a vida emergir e prosperar tenham sido entregues através de um bombardeio de rochas espaciais.

A pesquisa não foi capaz de determinar de onde essa proteína veio nem como se formou — mas os cientistas estão muito confiantes de que não veio daqui.

Quer saber mais? O artigo original está disponível no site da SoCientifica

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *