Parceria entre a Finep, o MCTIC e a FAPESP lançam edital de R$ 20 milhões para tecnologias de combate ao COVID-19

A Finep e o MCTIC (Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações), parceiros da Anprotec, juntamente com a FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) lançaram na última sexta-feira (20/03) um chamamento público conjunto no valor de R$ 20 milhões para apoiar projetos de pesquisa visando o desenvolvimento de tecnologias para o combate à doença por Coronavírus (COVID-19). A data limite para submissão é 06 de abril.

Imagem retirada da Internet

Saiba detalhes do EDITAL, quem pode se candidatar e a relação desta chamada com outras iniciativas conjuntas entre as instituições. É fundamental ler atentamente os detalhes desta ação, que tem caráter emergencial.

A Finep e a FAPESP estão especialmente interessadas em pesquisas que contribuam para:

1) o desenvolvimento de testes diagnósticos clínicos sensíveis, específicos, rápidos e de custo competitivo para COVID-19.

2) o desenvolvimento de ventiladores pulmonares portáteis de baixo custo

3) o desenvolvimento de melhorias no diagnóstico de COVID19, a exemplo de uso de inteligência artificial para análise de imagens de tomografia computadorizada.

4) o desenvolvimento de serviços remotos de saúde voltados à escalabilidade do atendimento em atividades como diagnóstico, tratamento, prevenção;

5) a criação de soluções digitais para controle, monitoramento e previsão da disseminação do vírus

6) o desenvolvimento de tecnologias para operação remota de ressonância magnética e tomografia computadorizada.

7) o desenvolvimento de robôs colaborativos para auxiliar atividades hospitalares envolvendo pacientes contaminados (alimentação, coleta de resíduos, distribuição de medicamentos, recolhimento de enxoval, etc) que evitem a contaminação de funcionários nessas atividades com alta frequência constantes de contato com pacientes).

8) o desenvolvimento de ferramentas para redução e prevenção de contágio

9) o desenvolvimento de produtos antivirais ou outros produtos que possam servir como terapia de apoio, ou para diagnóstico e prevenção da doença

10) a criação de soluções de apoio a pacientes em confinamento domiciliar ou quarentena hospitalar (atividades remotas, acompanhamento, serviços).

11) o desenvolvimento de candidatos terapêuticos para a COVID-19; terapêutica de amplo espectro e melhorias de terapêuticas existentes inicialmente desenvolvida para outras indicações.

12) a criação de soluções terapêuticas com potencial para rápido desenvolvimento clínico ou reuso de terapêuticas existentes desenvolvidas para outros patógenos.

13) Pesquisa sobre o uso de inteligência artificial e de tecnologias digitais para referenciamento de pacientes e para melhoria da gestão do sistema de saúde

14) desenvolvimento, melhoria, simplificação e aceleração da produção de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para profissionais da saúde e de outros instrumentos ou equipamentos para proteção e isolamento de pacientes.

Outros temas relevantes para combate à doença por Coronavírus (COVID-19) também serão considerados.

Fonte: anprotec

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *