Estudantes da UFPE desenvolvem produtos alimentícios a partir de tecnologias de processamento e conservação

Os alunos realizaram uma exposição de alimentos a partir do processamento da maçã. A disciplina de Tecnologia de Alimentos, do curso de Nutrição do Centro Acadêmico de Vitória (CAV), da UFPE, finalizou o semestre 2019.2 com mais uma exposição de produtos alimentícios desenvolvidos em laboratório.

Os alunos realizaram como prova final uma exposição com produtos desenvolvidos a partir do processamento da maçã. Os alimentos produzidos foram os seguintes: compota, geleia, polpa de maçã fermentada, licor, chips, infusão de maçã desidratada, embutido e papinha. Além disso, a turma desenvolveu espetinho de maçã colorido e cidra, produzidos em parceria com a cervejaria Patt Lou.

Entre os alimentos produzidos estão compota, geleia, licor, chips e papinha

Coordenada pelo professor Leandro Finkler, do Núcleo de Nutrição do CAV, em conjunto com a professora aposentada Zelyta Pinheiro, a disciplina utiliza de métodos de brainstorming, fluxograma, aproveitamento de matérias-primas, análises físico-químicas e microbiológicas, como análises sensoriais para avaliação da aceitabilidade.

“O semestre foi produtivo e, dessa vez, oportunizou vislumbrar a importância da tecnologia de alimentos para minimizar o desperdício de matérias-primas alimentícias”, comemora o professor. “A maçã muitas vezes apresenta um machucado e é colocada de lado. Contudo, adotando técnicas de higiene e de processamento, é possível transformar essa maçã feia em apreciáveis e saborosos produtos”, relata Leandro.

Alunos também fizeram cidra e espetinho de maçã

Além de discutir os conceitos de processamento e conservação de alimentos, a disciplina promoveu o debate sobre a relação entre a aprendizagem e a ação empreendedora. “A primeira ideia é perder o medo de colocar a mão na massa”, afirma o professor.

De acordo com Leandro, as discussões abriram portas para novas experiências, apresentando a produção de alimentos como uma utilidade simples, contendo saberes que os alunos podem utilizar em sua vida profissional.

Fonte: UFPE

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *