Show de música é promovido por cientistas para observar a transmissão do coronavírus

Eventos coletivos estão obviamente cancelados desde o início da pandemia de Covid-19 para irritação dos fãs de esportes e de cultura. Mas quando as medidas de distanciamento físico e os bloqueios passam a relaxar pelo mundo qual seria o risco real desses eventos coletivos? Um enorme novo experimento pretende descobrir ao recrutar a ajuda de um pop star e quatro mil de seus fãs para analisar como o coronavírus se transmite em grandes aglomerações de pessoas.

Pesquisadores do Hospital Universitário Halle, financiados pelo governo dos estados Saxony-Anhalt e Saxony da Alemanha, pretendem descobrir como o coronavírus se espalha em reuniões massivas de pessoas ao observar de perto três cenários distintos em um show do cantor Tim Bendzko, na Arena Leipzig, na segunda metade de agosto.

Como ocorrerá o experimento de transmissão de coronavírus no show de música

O experimento complexo vai analisar inúmeros aspectos do papel de grandes aglomerações na transmissão do coronavírus:

Voluntários e testes

Os voluntários serão pessoas saudáveis entre 18 e 50 anos de idade que realizarão testes de Covid-19 dois dias antes do evento. Só poderão participar aqueles que testarem negativo. Os cientistas darão máscaras faciais hospitalares FFP2 aos voluntários e um desinfetante fluorescente que vai permitir que os pesquisadores observem quais as superfícies são mais tocadas pelos voluntários.

Monitoramento eletrônico

Os voluntários também serão monitorados através de um dispositivo eletrônico que indicará suas posições, distancias, freqüência e tempo de contato entre si. Os dados coletados serão alimentados a um modelo computacional que analisará como o coronavírus poderia ser transmitido entre as pessoas.

Os três diferentes cenários do experimento:

  1. o primeiro, com os quatro mil participantes, será como nos tempos antes do Covid-19 (apesar de usar todas as precauções necessárias, incluindo máscaras);
  2. outro cenário vai observar como será o movimento dos voluntários com uma entrada controlada de todas as pessoas;
  3. um terceiro cenário com metade destes voluntários observará o distanciamento físico de 1,5 metros entre as pessoas.

“A pandemia de coronavírus paralisou a indústria de eventos. Enquanto houver risco de contágio, não serão permitidos grandes shows e feiras ou eventos esportivos. Por isso que é tão importante descobrir qual estrutura técnica ou organizacional pode efetivamente minimizar o risco de infecção”

Poucas evidências até o momento

Há poucas evidências de qualidade sobre como o coronavírus se transmite em grandes aglomerações, apesar de estudos indicarem que elas tem alto potencialmente de contágio.

“Se queremos permitir grandes eventos novamente no futuro, precisamos de conhecimento científico sobre como podemos minimizar o risco de infecção e criar mais segurança para todos os participantes”, afirmou Petra Köpping, Ministra de Estado dos Assuntos Sociais e Coesão Social do estado. “Estou muito feliz por podermos apoiar um projeto tão importante … e, assim, permitir o caminho de volta a uma normalidade maior. Porque, é claro, os principais eventos devem ocorrer novamente no futuro, mas, como governo, também temos que assumir nossa responsabilidade de proteger a população. ” [IFLS]

Fonte: Hypescience

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *