Menu Fechar

Pesquisa desenvolvida na UFC sobre uso da pele de tilápia em áreas da medicina está na final do Prêmio Euro 2020

A pesquisa inovadora “A pele de tilápia: um novo biomaterial para tratamento de queimaduras, feridas, cirurgias ginecológicas e medicina regenerativa”, realizada no Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento de Medicamentos (NPDM) da Universidade Federal do Ceará, é uma das 11 contempladas no Prêmio Euro Inovação na Saúde, concedido pela indústria Eurofarma Laboratórios S.A..

Agora, concorre ao Grande Vencedor, como é denominada a primeira colocação nesse concurso, tido como o mais importante da medicina nacional. Médicos de todo o Brasil, com registro ativo nos Conselhos Regionais de Medicina, podem participar da votação no site do prêmio de 28 de maio a 4 de agosto deste ano.

Os estudos sobre uso da pele de tilápia na saúde são coordenados pelo Prof. Odorico de Moraes, diretor do NPDM, e pelo médico Edmar Maciel, pesquisador do NPDM e presidente do Instituto de Apoio ao Queimado (IAQ). No Prêmio Euro Inovação na Saúde, a pesquisa concorreu inicialmente com 1.653 trabalhos. Desses, o Conselho Médico do concurso selecionou os 11 finalistas e na atual etapa caberá ao Grande Júri, formado por médicos com atuação no Brasil, definir o primeiro colocado, considerado o Grande Vencedor. No total, a premiação equivale em reais a € 1 milhão, sendo € 500 mil para o primeiro colocado e € 50 mil para os outros 10 finalistas.

Na campanha por votos dirigida aos colegas, o médico Edmar Maciel destaca que os estudos realizados pelo grupo de pesquisa com pele de tilápia já conquistaram 14 primeiros lugares em diversos concursos e resultaram em 22 trabalhos científicos publicados em periódicos nacionais e internacionais. E o grupo do NPDM formou parcerias com pesquisadores em “sete estados brasileiros e sete países, totalizando 227 colaboradores atualmente”.

Além do êxito obtido com a pele de tilápia no tratamento de queimados, o que ocorre desde 2015 com o uso em pacientes do Instituto Dr. José Frota (IJF), a pesquisa é sucesso na aplicação da pele de tilápia na ginecologia, na reconstrução vaginal em pacientes com síndrome de Rokitansky e câncer de vagina, e, mais recentemente, na pós-cirurgia de redesignação sexual de uma paciente trans, procedimento inédito no mundo; bem como no tratamento de feridas e úlceras varicosas

A partir das pesquisas realizadas na UFC, amostras de pele de tilápia também fizeram parte de estudos da agência espacial norte-americana, a NASA, em parceria com outras instituições de pesquisa e educação, para testes no âmbito do projeto Cubes in Space (Cubos no Espaço).

Os estudos bem-sucedidos com pele de tilápia extrapolaram o meio científico e acadêmico e chegaram ao conhecimento do grande público tanto por diversas reportagens como por meio de séries de TV em canais pagos e outras plataformas. “Fomos destaque nos seriados The good doctor, Grey’s anatomy e The residence“, cita ele.

RECONHECIMENTO ‒ Para o diretor do NPDM, Prof. Odorico de Moraes, o concurso da Eurofarma, como prêmio nacional, dá visibilidade não somente aos pesquisadores mas à Instituição como um todo.

“O êxito dessa pesquisa se deve exatamente aos pesquisadores da UFC e à própria Universidade, à estrutura do NPDM, que é da UFC. A importância de ter um reconhecimento nacional mostra o grau de maturidade científica que atingiu a Universidade”

Ele ressalta também a importância do Instituto Dr. José Frota, onde começaram as aplicações da pele de tilápia como curativos biológicos no tratamento de queimados. Comenta que a pesquisa foi desenvolvida na UFC e o IJF o lugar onde ela foi aplicada nos pacientes. “O IJF foi muito importante para mostrar que a pele da tilápia realmente funciona no tratamento de queimaduras”, diz.

cerimônia de entrega do Prêmio Euro Inovação está marcada para setembro deste ano, em dia a ser definido. Somente no dia será divulgado o Grande Vencedor. Mais informações sobre o concurso estão disponíveis no site Prêmio Euro Inovação.

Fonte: UFC

Recomendados para você