Semiárido e Ciência Geográfica ganham visibilidade em projetos on-line

Rede de professores e pesquisadores disponibiliza conteúdo científico ao alcance de todos, com linguagem acessível e até certificação por meio de projetos dos cursos de extensão universitária.

Muitas das pesquisas da Geografia Física são desenvolvidas em regiões como a Serra da Capivara, no Piauí | Foto: Igor Pedroza

Caicó (RN) / Fortaleza (CE) / João Pessoa (PB). Uma rede de pesquisadores e professores universitários vem ganhando seguidores por meio da metodologia aplicada a fim de popularizar o conteúdo científico acadêmico sobre questões pertinentes ao semiárido brasileiro e os estudos científicos sobre a geografia na região. O conteúdo vai desde ciclos de palestrasaulas de orientaçãoprogramas de extensão, entre outros formatos disponibilizados gratuitamente por meio das plataformas de vídeo, e alguns deles com certificação para os participantes.

Na internet desde 2014, mas com foco metodológico sobre Geografia, o canal Grupo de Estudos de Ambientes Fluviais Semiáridos (Geafs), da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) oferece aos seus inscritos, além de aulas elaboradas pelos professores do grupo, como a disciplina de Introdução à Geologia, também são disponibilizados tutoriais de geotecnologias.

De acordo com o coordenador do Geafs, o professor doutor Jonas Souza, o projeto é um trabalho de divulgação científica voltado tanto para estudantes quanto para professores do ensino básico e interessados na dinâmica ambiental. “Com a pandemia, começamos a realizar atividades mais amplas. Todo o material vem das nossas pesquisas e de outros diferentes pesquisadores. Um dos projetos de extensão da UFPB visa divulgar o conhecimento sobre as dinâmicas ambientais do Semiárido nas suas diversas facetas focadas na Geociência, integrando diferentes pesquisadores que trabalham nesse âmbito”, explica.

O projeto de extensão da UFPB, disponibilizado pelo canal da Geafs segue dois eixos de trabalho e dinâmica de apresentações. “Um deles é a discussão da dinâmica ambiental do Semiárido de forma geral e outro são metodologias e técnicas que podem ser aplicadas para o estudo da dinâmica do Semiárido”, explica o coordenador.

Uso da terra rural do Semiárido

Ainda segundo o professor Jonas Souza, a partir de setembro, os seguidores poderão acompanhar outras novidades pertinentes à temática: “Vamos começar apresentações sobre o uso da terra rural do Semiárido, sobre metodologias rurais no Semiárido e discutir boas práticas agrícolas visando a conservação do solo, voltadas para moradores e agricultores. Também terão novos dois eixos de discussão: um deles é sobre as diferentes paisagens geomoforlógicas do Semiárido e outro sobre teses”.

O professor reitera que atividades elaboradas para o campo presencial sofreram alterações em decorrência da pandemia e serão transmitidas também pelo canal da Geafs. “Em 2016 e 2017 fizemos atividades no município de São João do Tigre com oficinas para agricultores que agora será on-line e com convidados que trabalham na parte técnica, sobre as questões rurais ambientais do semiárido nordestino”.

Departamento de Geografia da Universidade Federal do Ceará (UFC), por meio do curso de pós-graduação também disponibiliza um canal, o PosGeog UFC e neste semestre adotou aulas remotas por conta da pandemia. “O canal possui um conjunto de lives com professores de todo o Brasil e convidados. Existem trabalhos, por exemplo, que cartografaram e mapearam, a partir da Geografia da Saúde e outras temáticas que a Geografia se interessa, fazendo essa relação com o desenvolvimento e expansão da Covid-19 no Ceará e outros estados”, destaca a professora doutora Iara Rafaela Gomes, da UFC. Ela destaca que não apenas o Departamento de Geografia, mas outros departamentos também adotaram medidas necessárias para transmissão de conteúdo do semestre letivo e divulgação de projetos de pesquisa.

Quintas Geográficas

Um dos projetos de extensão criados em meados da pandemia é coordenado por Saulo Vital, professor do Departamento de Geografia e do Programa de Pós-Graduação do Campus Caicó da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). “Começamos em março, com lives nas redes sociais, fiz pesquisa para realização de webnários e tivemos a ideia do canal. É um projeto que tem como objetivo difundir o conhecimento científico no campo da Geografia, de difusão e popularização da ciência, que visa tornar o conhecimento acadêmico de conhecimento geral da população”, explica.

O canal do Grupo de Pesquisa em Gerenciamento dos Riscos e Desastres Naturais (Genat)/ UFRN existe há cinco meses e chega a contabilizar cerca de 300 espectadores durante as transmissões de até 2hs de conteúdo científico com certificação. “Cada vídeo chega a ultrapassar 2 mil visualizações. Os temas são relacionados a desastres, mas não queremos restringir a apenas uma linha de estudo. A ideia é popularizar a Ciência Geográfica com temas interessantes”, destaca. O canal tem mais de 2 mil inscritos.

Um dos temas do ciclo de transmissões on-line, que inicia nesta quinta-feira (6), abordará  “Novas Perspectivas e Abordagens da Geomorfologia”, ministrado pela professora doutora Vanda Carneiro de Claudino Sales. A temática é um conhecimento científico atrelado à Geografia que estuda as formas do relevo. “A Geomorfologia busca interpretar a dinâmica da superfície da Terra para produzir conhecimento básico. Como as montanhas se formam, como as dunas evoluem, como os rios erodem, por exemplo, visando agregar conhecimentos para a sociedade e contribuir para o avanço de outras ciências afins como a GeologiaArqueologia e Biologia, por exemplo”, explica.

A professora ressalta a importância da contribuição da Geomorfologia no atual cenário do nordeste brasileiro. “O uso de novas tecnologias no Nordeste irá contribuir para uma melhor compreensão da dinâmica do Semiárido e, dessa forma, induzir melhores formas de apropriação da natureza e de preservação. É preciso urgentemente preservar a geodiversidade, a riqueza abiótica da natureza, como forma de garantir a sobrevivência mesmo dos modos de vida, da economia sustentável e da diversidade natural, e a Geomorfologia tem muito a contribuir nesse sentido”.

Serviço

Nesta quinta-feira (6), a partir das 19h, o canal da Genat UFRN no YouTube inicia o ciclo de transmissões online das Quintas Geográficas para o mês de agosto. Confira a programação:

6/8/2020
Abordagem Teórico-Metodológica dos Riscos Geomorfológicos
Professor doutor Lúcio Cunha – Universidade de Coimbra
13/8/2020
Geografia Física e Métodos de Abordagem
Professor doutor Marco Túlio Mendonça Diniz – Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)
20/8/2020
Geoarqueologia em Ambientes Semiáridos
Mestre Igor Pedroza
27/8/2020
Novas Perspectivas e Abordagens da Geomorfologia
Professora doutora Vanda Carneiro de Claudino Sales

Canais de Geografia no Nordeste citados na matéria
Geafs UFPB
Genat UFRN
PosGeog UFC

Fonte: Agência de conteúdo ECO Nordeste

Por: Yara Peres

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *